Gaia vai ter um novo hotel de luxo no contro da cidade

Projecto inicial do grupo Sana incluía uma torre e implicava um investimento de 30 milhões, mas foi “amputado”. O hotel, que será construído “independentemente da evolução do mercado e da pandemia”, deverá criar 100 postos de trabalho.



Depois de anunciado o projecto do Hilton Porto Gaia, é a vez do grupo Sana Hotels confirmar a construção no centro da cidade de um hotel de luxo de cinco estrelas. Um investimento que significará a criação de cerca de 100 postos de trabalho, disse o presidente da autarquia, Eduardo Vítor Rodrigues.


Em causa um hotel e salas de congressos da “classe de ouro” do grupo SANA que inicialmente previa para o local um projecto que incluía uma torre e implicava um investimento de 30 milhões, mas foi “amputado”, anunciou esta segunda-feira o autarca.


“Tinham uma expectativa muito elevada de intervenção, mas tiveram de refizer o projecto porque não aceitamos alguns pormenores, mas mantêm a intenção. Aliás, comprometeram-se a, independentemente da evolução do mercado e da pandemia, a avançar”, contou o presidente da câmara de Gaia em declarações aos jornalistas após uma reunião de câmara que decorreu por videoconferência devido às contingências da covid-19. O hotel ficará localizado na Rua Camões, perto da Praceta Salvador Caetano e da Avenida da República.

De acordo com o autarca, o grupo será obrigado a requalificar o quarteirão envolvente, sendo esta uma das razões pelas quais o vice-presidente da câmara de Gaia, que é adjunto ao presidente para a área do planeamento urbanístico e política de solos, licenciamento urbanístico, sugeriu a isenção a 100% de taxas municipais.



“É um processo com mais de cinco anos e nunca desistiram. Vai gerar mais de 100 postos de trabalho directos, fora os indirectos. Será um edifício emblemático à cota alta. Toda a zona será requalificada e o hotel será a alavanca dessa requalificação. Sugiro uma discriminação positiva aos 100%”, disse Patrocínio Azevedo.

Inicialmente a proposta que foi a reunião camarária aludia a uma isenção de 50%. Eduardo Vítor Rodrigues recordou que pelo critério de empregabilidade, outros projectos como o WOW – Mundo dos Vinhos ou a Quinta da Boeira, receberam isenções semelhantes, mas quis certificar-se de que o grupo Sana Hotels se tinha comprometido, à semelhança de outros investidores, privilegiar as pessoas de Gaia na atribuição de empregos.

A proposta de isenção total foi aprovada por unanimidade, mas sem antes o vereador do PSD, que é oposição ao executivo socialista, Cancela Moura ter revelado reservas e lembrado o impacto urbanístico na zona.

“É um investimento brutal e de referência e competitivamente obtido para Vila Nova de Gaia”, disse Eduardo Vítor Rodrigues que, já no final da sessão, em declarações aos jornalistas apontou que para projectos de alojamento local as isenções têm ido dos 50 aos 75%, enquanto “mega projectos desta envergadura que incluem empregabilidade pode ir aos 100%”.

3 views0 comments

Recent Posts

See All